sábado, 25 de abril de 2009

A Cura de uma criança.

por Magridt G. Luz



Este artigo é um testemunho retirado do livro:

"Os Segredos de Deus – Uleidice Rocha".


.

A Cura de uma criança.


Estarei escrevendo abaixo o testemunho de uma mãe e sua filha que foram curadas. (tinha sua filha uma enfermidade por incurável aos olhos da medicinma humana):

“A palavra de Deus, no Livro de Hb 2:4, nos afirma que: ‘Ao mesmo tempo, por meios de sinais de poder, maravilhas e muitos tipos de milagres, Deus nos confirmou o testemunhos deles. E, de acordo com sua vontade, distribuiu os dons do Espírito Santo’.”


Baseada nesta verdade, eu quero compartilhar uma experiência marcada por sinais e maravilhas de Deus no nascimento de minha filha Déborah.


No primiero trimestre de gestação Deus falava para mim, através de seus profetas que grande era a fúria do inimigo contra minha vida, e que o mesmo tentaria de várias formas tirar a vida da criança, até mesmo através de uma enfermidade que me acometeria. (posteriormente, o Espírito Santo nos levou a discernir que havia legado na área de aborto –maldição hereditária por parte de minha avó materna – o que estava até então permitindo a atuação do espírito de morte e outros. Tratava-se de maldições hereditárias que ainda não haviam sido quebradas e canceladas, no mundo espiritual. Ele nos conduziu passo a passo, através de dons espirituais, até que a benção veio por completo).


“Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando, pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em tí. Porque Eu Sou o Senhor, Teu Deus, o Santo de Israel, o Teu Salvador;[...]” (Is 43:2,3).


No início da Gravidez fiz o exame preventivo contra o câncer no colo uterino e para minha surpresa o exame constatou ‘Neoplasia intraepitelial cervical grau II e pólipo.’ O Médico Oncologista orientou não tratar devido a gravidez. Eu e a autora deste livro, (minha mãe do coração), entramos diante de Deus e

Ele mostrou que eu recebia dois envelopes contando resultados negativos para o câncer do colo uterino.


Fiz dois novos exames, incluindo colposcopia e biópsia, ambos com resultados negativos (-) para a neoplasia intraepital cervical. Glória a Deus, que fez cumprir sua palavra profética e eu recebi cura.


No quinto mês de gestação, tive infecção urinária que se agravou contaminando o líquido amniótico e desencadeou o trabalho de parto pré-maturo. A principio, fiquei internada tomando remédio para cessar o trabalho de parto, sendo submetida a repouso absoluto. A conduta do médico estava contraria a vontade de Deus. Pois, Ele (Deus) já havia revelado a data do nascimento da criaça para sua Vovó (autora deste livro), embora a mesma guardasse em silêncicio. Também tinha o Espírito Santo de Deus falado com o meu esposo a caminho do hospital: “Até aqui você ouviu falar de mim, mas eis que agora os teus olhos me verão face a face.”


Foram muitas as maneiras do falar de Deus para comigo através dos seus profetas. E mesmo sendo provada, em nenhum momento Ele me deixou só.


Ao completar seis meses de gestação, o que prevaleceu, foi a boa, perfeita e agradável vontade de Deus.


A criança nasceu de parto normal. O obstetra constatou o líquido amniniótico totalmente infectado o que traria a morte se a criança permanecesse.


Aleluias!!! No dia 23-06-05, Déborah nasceu. Ela nasceu com sepse (infecção), chegou a pesar 950 gramas; teve “Icterícia patológica” (aqui abro um parentese) Deus mostrou em visão para meu esposo, que sobre a criança na U.T.I infantil iradiava uma luz azul que a curaria”. No horário de visita dos pais, estava um representante com uma lâmpada para “fototerapia de ultima geração” e ao testá-la escolheram minha filha para comprovar a sua eficácia. Enfim, Déborah foi curada da icterícia em poucos dias evitando a Hemotransfusão.


O Salmista Davi disse: Elevo os meus olhos para os montes: de onde me viá o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez os ceus e a terra” (Salmos 121:1,2); de fato nós comprovamos isso quando recebi a notícia por telefone da médica intensivista que Deborah estava naquele momento indo para o Centro cirurgico em carácter de emergência para a cirurgia dos olhos, pois a oftalmologista foi a U.T.I avaliar outra criança mas decidiu também avaliar minha família e constatou a “retinopatia”, que em muitos casos leva a cegueira se não tratar a tempo.


A angustria era grande! Às vezes nem entendíamos o porque de tantas provações. E faltava-me fé. “sem fé é impossível agradar a Deus” (HB 11:6). “Os que confiam no Senhor são como o monte sião, que não se abala, forme para sempre”. (Sl 125:1).


Depois, minha filha foi submetida a outra cirurgia de “refluxo gastroesofágico”. O Espírito Santo falara, dias antes da cirurgia que estava enviando “anjos-médicos anciãos” até a U.T.I para curá-la, porém minha fé foi muito abalada e tive dúvida. Deus falava em cura, mas... o quadro clínico não era favorável.


E como consequência da minha falta de fé, o deserto pelo qual eu passava, ficou mais hoistil e demorado para atravessar.


Deus mostrou em uma visão que eu era como Hagar e seu filho no deserto. Continuavam as provações... E no pós-cirurgico a criança contraiu infecção hospitalar agravando o quadro. E novamente Deus usou a sua serva (autora do livro) para me dizer que era para eu clamar por nmisericórdia para que Ele revertesse àquela situação. Completando 93 dias de U.T.I, Deborah recebeu alta hospitalar com o quadro de “hemorragia Intracrâniana”, “hidrocefalia”, e “alergia alimentar grave”, tendo de se alimentar de um leite importado, caríssimo, chamado “Neocate”.


O deserto aumentou quando eu tive que acompanhar minha filha com vários especialistas como: oftalmologista, gastrologista, neorologista, e fisioterapeuta. Finalmente, após muito desgaste físico e mental, já não suportando mais eu me rendi totalmente aos pés de Jesus. E pedi ao meu esposo que fosse ao monte do Senhor para orar, e que levásse consigo aqueles exames de minha filha e os apresentasse diante Dele pedindo cura (Sl 24).


Naquela hora, eu orava em casa com a criança nos braços, de joelhos no chão, clamando e chorando com a alma, pedindo que: assim como aquela mulher do fluxo de sangue que pedessia a doze anos fora curada, ao tcar a orla das vestes de Jesus Cristo, que Ele próprio tocá-se em nós, naquele instante, e Dele saísse virtude capaz de mudar a nossa história e finalizar o deserto.


‘Ama o Senhor porque Ele ouviu a minha voz e a minha súplica, porque inclinou para mim os seus ouvidos; portanto envocaloei enquanto viver’ (Sl 116: 1,2).


No “monte dos gravetos que se acendem, em (Vilha Velha-ES), estava meu esposo e um grupo de pessoas, inclusive a autora deste livro que me abriu um espaço em obediencia a voz do Senhor, que discera autrora, aravés de duas mulheres-profetizas Dele, que o testemunho de Demorah estaria neste segundo livro. E quero ressaltar que ela é testemunha de tudo que nos sucedeu visto que, naquele tempo, morávamos dentro de sua casa e Deus a usou tremendamente através dos dons espirituais: Visões, sonhos, revelações e profecias, para nos deixar a par de tudo o que nos sobreviria. Porque Deus não deixa os seus filhos desavisados.

“por acaso, o Senhor Deus faz alguma coisa sem revelar aos seus servos, os profetas?” (Amós 3:7).

Pois bem, lá naquele monte estávam três pastrores orando, os quais até então não eram conhecidos pelo grupo ali. Eles foram tocados pelo Senhor a se dirigirem ao local onde o pequeno grupo orava. Um daqueles pastores (de Ipatinga-MG) ao se aproximar do grupo, se dirigiu ao meus esposo e falou, usado pelo Senhor: “Estou Eu curando ela neste instante...”


Tomamos posse daquela palavra do Senhor, na boca daquele profeta e fomos ao centro de diagnósticos por imagem e foi feita “ressonancia magnética encefálica”. E para aumentar a sua fé amado(a) leitor(a) estava escrito: “não há nenhuma evidência de imagem de hemorragia intracrâniana e nem lesão progressiva”. Oh Glória!!! Aleluias!!! Este é o Deus que nós servimos.


Ao retornar após um ano na neurologista e lhe contar o testemunho de cura, a mesma confirmou a cura de Deborah. E me informou que como eu não havia voltado acerca de um ano atrás, o “Eletrocefalograma” de Deborah havia dado muitas alterações e que solicitou o meu comparecimento ao consultório para medicá-la, pois teria “crises convulssivas”. Porém, além de não ter a procurado, naquela época, eu não recebi o recado, porque o meu Deus me polpou de mais uma situaçào e nos levou para o monte de onde vem o socorro.


Monte é lugar de vivenciar o sobrenatural de Deus. Esperimente também! “provai e vede que o Senhor é bom” (Sl 34:8). “subirei ao monte santo do Senhor, tocarei a face do meu salvador. Celebrarei a Deus com júbilo, celebrarei a Deus com cânticos”.

Deborah, para a honra e glória do Senhor nosso Deus, não tem nenhuma sequela. Ela, neste momento de agosto de 2007, está com 2 anos e 2 meses de idade e pode andar, correr, falar e dançar na presença de Deus. Aleluias!!!.


Relato de: Renata Kabyelle S. C. Oliveira e Wedson ferreira de Oliveira – Pais de Deborah.

4 comentários:

  1. Acabei de passar por um momento de muitas lutas e pude sentir e reconhecer um pouco do sofrimento descrito por essa mulher... É incrível como tantas as Palavras descritas acima também falaram comigo em meio a esse vale pelo qual passei!
    Louvado seja o Nome do Senhor por sua Bondade e Presença constante em TODOS os momentos das nossas vidas!
    Amém.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom saber que o PAI, tem cuidado de TODOS nós em todos os momentos de nossas vidas... Precisamos acreditar que DEUS pode todas as coisas, mesmo que pareça impossível!

    ResponderExcluir
  3. estou passando por um monmento de aflição só o Senhor sabe e conhece a minha dor.Peço oração em nome de Jesus! que esse vale de dor passe logo na vida da minha família e o Senhor nos conceda a cura.

    ResponderExcluir
  4. só posso dizer uma frase; DEUS SEJA LOUVADO , ALELUIAS!

    ResponderExcluir

Blog Widget by LinkWithin