segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Quarto aniversário do Emanuel





Hoje, 29 de outubro meu filho Emanuel está completando 4 anos de vida!!!
Emanuel que para os mais íntimos é conhecido como Manú, Manuzinho, Manoquinha...

Numa noite de fevereiro de 2008 o meu marido sonhou que nós tínhamos o Josué e um bebê que se chamava Emanuel. Naquele mesmo mês fiquei sabendo que estava grávida!!!! Não acreditava pois, o Josué tinha apenas 7 meses de vida!

Com mais ou menos 20 semanas de gestação descobrimos que teríamos mais um meninão e chamaria Emanuel, claro.

Foi uma experiência maravilhosa seu nascimento de parto natural, pois, cheguei no hospital ele estava coroando. Costumo dizer que ele foi apressadinho demais até nos dias de hoje....

Para começar seu nome que significa Deus conosco, acho lindo.... Ele é um garoto especial que contagia todos com sua presença, ele fala tudo e encanta a todos....

É um garoto que nos alegra, nos faz rir e desde já resplandece a luz de Cristo!

Hoje, com muita alegria agradeço a Deus por me proporcionar a experiência der ser mãe do Emanuel, um filho maravilhoso, inteligente, centrado, observador, dedicado, obediente, sensível, entre tantas outras qualidades....

Emanuel que o Senhor te de sabedoria, que você cresça em obediência, amor, temor do Senhor e estatura.... Que o Pai te abençoe, guarde sua vida. Que você continue sendo este menino maravilhoso, cheio de alegria! 

Te amamos, é uma honra e satisfação ser sua mãe e do seu irmão!

Te amo FILHÃO!






terça-feira, 5 de junho de 2012

Aniversário de 5 anos do Josué!



Hoje fazem cinco anos que nasceu o meu filhão Josué, para os mais íntimos Jô, Josuca, Jozinho, Jojóquinha, etc, rssss...

O que tenho a dizer é que foram cinco anos de alegria em minha vida e da minha família!

Com a sua chegada cresci e amadureci, conheci um amor diferente do amor que costumava sentir... conheci O AMOR DE MÃE.

Sempre ouvia dizer sobre este amor, porém não conseguia se quer imaginá-lo, pelo contrário achava muitas vezes um exagero quando via uma mãe sofrendo tanto por uma derrota de um filho ou uma mãe se alegrar tanto pela sua vitória.

Então, quando me casei o que mais queria era ser MÃE para entender este amor, que só sendo mãe podemos explicar...

Com 11 meses de casada veio a grande notícia! Eu estava grávida.... que alegria e festa!

Havia atrasado uns cinco dias a minha menstruação, quando desci correndo na farmácia, morrendo de vontade de fazer xixi e comprei um teste de gravidez.

Estava sozinha em casa quando fiz o teste e a listrinha do exame começou aparecer confirmando positivamente a gravidez, uuauauau.... eu não estava acreditando, estava radiando de alegria...

Liguei para minha mãe e para o Ney, para fazer o exame de sangue e felizmente deu POSITIVO!!!!

A partir deste momento nos programamos e aguardamos ansiosamente 9 meses a chegada de um meninão, o Josué, estava por vir.

Hoje, com muita alegria agradeço a Deus por me proporcionar a experiência der ser mãe do Josué, um filho maravilhoso, inteligente, centrado, observador, dedicado, obediente, sensível, entre tantas outras qualidades....

Só tenho que agradecer e louvar ao Senhor por minha abençoada família! 

Que Deus continue me capacitando para ser uma mãe segundo sua vontade e assim cumprir dedicadamente esse maravilhoso ministério!

Parabéns Josué, muito obrigado por nos trazer alegria! Te amamos muito! Que você cresça a cada dia em sabedoria e estatura, como um valente, FORTE E CORAJOSO homem de Deus!

 










quarta-feira, 16 de maio de 2012

Encontro Bases para Maternar-12/05

Muitas mulheres tem entendido o real significado da maternidade, e assumindo isto como um verdadeiro ministério(trabalho dado por Deus e recompensado por Ele) em tempo integral, por um determinado e importante tempo de suas vidas.
Sabemos o quanto é difícil depois de entender o chamado para maternar, seguir fiel a esse chamado em tempos como hoje, onde o feminismo defende a qualquer custo todos os seus interesses, esquecendo-se da prioridade: a família. 
Priorizar os filhos, o marido o lar nos tempos de hoje, é declarar utopia em meio a uma multidão que caminha em sentido contrário. É fazer algo que quase ninguém entende, que quase ninguém apoia, que quase ninguém faz. 
Hoje lendo a palavra de Deus, me deparei com um versículo que fala exatamente sobre o destino que a humanidade escolheu seguir, que diz assim: 

" Mas meu povo tem se esquecido de mim e queima incenso aos ídolos. 
No caminho em que deviam andar, eles tropeçam.
Não seguem os caminhos antigos, mas vão por atalhos que não estão marcados.
Eles fizeram desta terra uma coisa horrorosa." Jeremias 18.15

Vejo a mulher atual escolhendo este caminho, 
queimando incenso aos ídolos de seus interesses, o dinheiro, a posição social, a independência.
Tropeçando no caminho em que deveria andar, pois quando exerce em tempo integral suas funções como mãe, esposa, dona de casa, sente-se inútil, não vê sentido nem valor em seu trabalho. Como se sua felicidade estivesse longe do lar.
Não segue os caminhos antigos, o padrão deixado por Deus para que a mulher priorize aquilo para que foi criada. Mas vai por atalhos, criados e impostos por uma sociedade consumista, que se sobrepõe a família. 
E por fim, todo o desequilíbrio consequente , resulta em problemas sociais dos mais diversos, e a inevitável deficiência espiritual das novas gerações, ou seja, escolhas que fazem desta terra uma coisa horrorosa.

Nosso encontro de sábado foi revigorante no sentido de  fundamentar nossas bases, fortalecer nossas convicções quanto ao chamado, que é movido e fortalecido pelo ingrediente poderoso da fé . A fé e convicção que temos em nosso chamado por priorizar nossa família, tem nos sustentado em todas nossas necessidades, atraindo a provisão de Deus, a alegria, a realização e paz que excede todo o entendimento.
Não vemos problema em assumir papeis na sociedade, desde que não estejamos em falta com nossas prioridades. Como em tudo na vida é preciso haver um equilíbrio!
 Pois quando naquele dia diante dEle, não seremos cobradas acerca de nossas realizações e conquistas profissionais, mas sim seremos cobradas a cerca de nossos filhos. Vamos agradar ao Senhor?!   


Até a próxima!



Eu sou Magridt Gollnick da Luz e esse é o Blog Mães no Reino.

A reprodução deste conteúdo é permitida, desde que sejam mencionados os devidos créditos a autoria e fonte.

terça-feira, 24 de abril de 2012

Susto de mãe com tombos dos filhos



 Qual é a mãe que nunca passou um susto com o tombo de seu filho?

Quando nós mamães vemos eles caindo, logo sai da nossa boca: -HAAMMM, a mão é levada ao peito ou na direção deles, assim rapidamente vamos ao encontro dele e acolhemos em nosso colo, consolando sua queda.

O que eu acho interessante disso tudo é que independente de sua idade, nós mães assustamos muito com as quedas e dependendo do tombo, nossas pernas ficam bambas e nossas mãos gelam, porém não podemos transmitir esse nervosismo para a nossa criança. 

É um sentimento muito ruim ver nossos filhos caindo e se machucando, principalmente quando é um tombo que ele estava brincando inocentemente, este é de cortar o coração da mamãe.

Quero compartilhar uma experiência.

Este fim de semana estava indo a faculdade com minha família, muito feliz, pois não há prazer maior para mim do que sair e estar com minha família reunida e meus amigos. 

Cheguei lá para realizar um trabalho voluntário o dia inteiro do sábado, quando aproximadamente meia hora depois que havia chegado para colocar as mãos na massa, a uns 50 metros de distância vi meu filho Josué subindo as escadarias da faculdade, e de repente em um piscar de olhos o vejo caindo e batendo a boca no degrau de cima.

Eu estava conversando com uma amiga e saí correndo para pegá-lo, pois conheço muito bem o choro dos meus filhos, sei quando é um choro de dor ou de manha.

No caminho até chegar perto dele fui ouvindo o seu choro de dor. Minhas pernas bambearam e ao chegar perto meu coração cortou ao ver sua boquinha com sangue.

Não foi a primeira vez que o Josué havia caído, mas, o choro dele feria meu coração. Eu queria chorar junto, porém precisava passar segurança, olhar nos olhos dele e como se meus olhos dissessem: - Eu não vou deixar você ficar com dor, vou fazer o que for possível para te ajudar.

Então, rapidamente colocamos gelo o sangue foi estancando e ele foi se acalmando, meus amigos perguntavam dele, se estava melhor ou se eu precisava de mais alguma coisa, mas tudo estava ocorrendo bem.

Quando finalmente tudo se acalmou, minhas pernas voltaram, minhas mãos pararam de suar, o Josué ficou bem. 

Só que ele estava com um bicão pela batida e muito amoitadinho, então resolvemos ir embora e dar um remedinho de dor.

Ficamos em casa o resto da tarde, fiquei observando a boquinha e o dentinho do Josué, felizmente no fim da noite ele já estava jogando bola com seu irmão. 

Este sábado foi um dia muito agitado para mim porque fiquei preocupada e orando pelo dente do Josué, pois só iria me tranquilizar totalmente depois de fazer o raio-x na segunda de manhã e verificar se a raiz do dentinho não tinha sido afetada.

Daí então assistimos um filminho e dormimos.

Na segunda de manhã fizemos um raio-x e estava tudo bem, graças a Deus, o Pai cuida de nós.

Com toda esta história pude tirar a conclusão que nós podemos cuidar dos nossos filhos, porém eles nunca estarão 100% a nossa vista. 

Nosso papel como mãe e ensiná-los e mostrar os perigos e as consequências que podem acontecer se eles brincarem com isso ou aquilo, desta maneira ou da outra.

Nosso desejo é te-los sempre ao nosso redor para tomar todo os cuidados devidos, mas, eles crescem a cada dia que passa e por causa da escola e outras atividades de suas vidas, vão ficando mais longe de nós e do nosso alcance. Todavia não teremos eles o tempo inteiro em nossas mãos.

O que devemos é colocá-los em oração dia a dia nas mãos do Senhor, confiar no cuidado de Deus e descansar, sabendo que temos um Deus onipresente que cuida deles por nós e muito melhor que nós.

Deus abençoe

Júlia







quinta-feira, 19 de abril de 2012

Receitinhas Maternas- 14/04

Inspirada no versículo de Tito 2: 4-5 ("Instruam as mulheres moças a amarem seus maridos e seus filhos, a serem prudentes, castas, cuidadosas da casa, bondosas, sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada." ), a Roda de Mães realizou a primeira edição do Receitinhas Maternas,  trocando muitas dicas e truques caseiros. 
Ao final tivemos brindes, comes e bebes. Retornamos para nossas casas com a certeza de que um dos ingredientes mais importantes para rechear nosso lar de amor, são as  porções diárias de detalhes que fazem a diferença!

 Uma decoração para as princesas e rainhas do lar sentirem-se em casa!


 receitinhas infalíveis com destaque para os truques de beleza



produção  Cheiro Doce e Atraiu meu olhar 



Ah! ficamos com gostinho de quero mais! Até a próxima!!



domingo, 25 de março de 2012

Roda de Mães no Reino


Traga suas melhores receitas e entre nessa roda!!


segunda-feira, 5 de março de 2012

Mulher Parideira


Nas primeiras águas, berra o boi no sertão, corre o cavalo, ronca o trovão, vem a fartura, transborda o leite na gamela. Sopra o vento na janela, na palma da carnaúba.
A mulher camponesa trabalha feito saúva e tem todo ano um filho. Soca pilão, arranca malva, varre o terreiro... Cozinha, engorda o porco no chiqueiro, tange a galinha, toca o galo pro poleiro, serve o prato do marido e se banha nas águas do regato. No fim da tarde, cata piolho e espera o amado que vem do roçado e mesmo cansado, quer fazer mais um pimpolho.
Novo dia amanhece: canta longe o cocar no ninho. Colhe os ovos, deita na galinha criadeira, nasce o pintinho. E novamente, ela lava, cozinha, debulha milho e nesta lida, a mulher parideira tem todo ano um filho.

NA.
Uma homenagem à mulher camponesa.
(Adalberto Antônio de Lima – Picos – PI)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Protegendo o futuro dos filhos


Estamos na era da informação, e nesse contexto as novas gerações vem sendo bombardeadas de modismos e novas culturas. As novas maneiras de pensar e agir fundamentadas na rebeldia e aversão aos valores familiares e cristãos, muitas vezes surgem em meio às ruínas dos problemas sociais.
Não é de se espantar que os principais movimentos como cultura alternativa ou cultura marginal dos quais podemos destacar os hippies e punks, tiveram início logo depois da Revolução Industrial (evento que tirou as mães de dentro do lar em busca de trabalho remunerado e desde então desestabilizou a família e a sociedade), como uma resposta dessa geração de jovens que crescera em meio à nova realidade familiar.
Como mãe, me preocupo em ver as consequências disso no mundo atual devotado a criar e divulgar cada vez mais, pensamentos e costumes negativos que tendem a influenciar as crianças.
As drogas por exemplo, surgem como um "escape" à milhares de jovens que já viram sua esperança se esvair em meio aos problemas familiares. O mesmo acontece com a prostituição, e não me refiro só aquela considerada como forma de trabalho, me refiro a prostituição gratuita, aquela onde se entrega o corpo em busca de consolo, de afeto, de suprir carências. O mundo está carente, e por conta disso, a sociedade tem buscado todos os meios para suprir seu vazio interior.
Como mães e pais conscientes dos desafios de nosso tempo, estamos protegendo, ou pensando em proteger nossos filhos das influências negativas?
Temos que admitir que para nossos avós e antepassados a tarefa de de proteger os filhos era mais fácil que nos dias de hoje.
-Antigamente as mães ficavam em casa, cuidavam do lar, da alimentação, das roupas da família e da educação dos filhos. Com a chegada da Revolução Industrial no século XIX, ou seja com a criação das fábricas, as mulheres saíram do lar para trabalhar fora. O abandono do lar pelas mães que trabalhavam fora, causou sérias consequências para a vida das crianças. Consequências que estendem-se até os dias de hoje em nossa sociedade.
-Antigamente havia respeito nos lares, a disciplina era entendida e obedecida pelos filhos em apenas um olhar.
-Antigamente não haviam jogos eletrônicos viciantes e destrutivos. Programação de TV totalmente nociva à mente das crianças.
-Antigamente a alimentação era saudável, composta de hortaliças, frutas e verduras muitas vezes cultivadas nas próprias propriedades.
-Antigamente até as brincadeiras eram mais saudáveis, ao ar livre, faziam as crianças suar, e dar muitas risadas.
-Antigamente valorizava-se um vestuário descente. Homens e mulheres bem trajados, e as crianças cresciam com esse referencial.
-Sessenta anos atrás não havia o "ficar", o "rolinho" e nem o namoro no formato que vemos hoje. O contato físico no namoro virou "moda" em meados de 1950, antes disso, nossos pais e avós cortejavam, havia aquele "namoro de portão", assistido-autorizado e abençoado pelos pais. Beijo, amasso e muitas vezes até mesmo pegar na mão, só depois do casamento!
-Antigamente maconha, crack, ecstasy, e afins não estavam em todas as esquinas, sendo distribuídos e comercializados descaradamente até mesmo nos portões das escolas.
Vou parar a lista de comparações por aqui, pois já dá para ter uma ideia de que realmente o maior desafio ficou para nós mães e pais nesse tempo presente, e mais difícil ainda para os futuros.
Apesar de vivermos na era da informação, como mencionei no início do capítulo, a triste ironia é saber que a informação e a comunicação entre pais e filhos é o que mais tem faltado dentro dos lares.
Como proteger o futuro dos filhos?
"Afinal, como saberão se ninguém lhes falar?
Como ouvirão se não há quem pregue?

E, como pregar se ninguém quer ir? " (Romanos 10.14)
De que adianta ganharmos o mundo inteiro se perdermos nossa família, nossos filhos, nosso bem maior?
Antes de sair ganhando o mundo vamos garantir a salvação de nossos pequeninos, ou até mesmo os já crescidos. Ainda há tempo de concertar as coisas.
Uma conversa sincera, olho no olho, um afago confortante, um colinho, ainda são o melhor remédio para todos os males.
"Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele". (Provérbios 22:6 )
Mais do que qualquer poupança bancária, ainda é o diálogo traçado desde os primeiros anos de vida que garante um futuro brilhante aos filhos.
Vamos parar um pouco nossos afazeres e dedicar um tempo para conversar com nossos filhos, ler histórias bíblicas, contar a eles o plano original de Deus para todas as coisas, orar juntos, dizer o quanto são especiais, e que logo descobrirão a maravilhosa missão que Deus planejou para eles aqui na terra.
A maravilhosa missão que Deus planejou para nossos filhos está em nossa mãos, cabe à nós decidir se assumiremos o papel de zelar, de sermos fiéis guardiões.
Pai e mãe, essa é a sua missão, proteja o futuro de seus filhos!
Deus abençoe e dê sabedoria a todos!


Eu sou Magridt Gollnick da Luz e esse é o Blog Mães no Reino.
A reprodução deste conteúdo é permitida, desde que sejam mencionados os devidos créditos a autoria e fonte.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Encontro: Protegendo os filhos das influências negativas


Olá queridos
Nossa Roda de Mães deste sábado foi muito especial, e não poderia ser melhor, pois o Senhor esteve ministrando aos nossos corações a cada tópico discutido, a cada experiência compartilhada.
Obrigada e parabéns a todos pois apesar do calor intenso que fez nesse sábado, estavam motivados a participar e descobrir juntos o melhor de Deus para nossas famílias.

Ficamos felizes em conhecer a Elisabete, convidada da Fabricia, e seu filho, sejam bem vindos à roda! Também participaram Beth, Daiana, Natiely, Cris, Vanessa e Rafa, Irene e os pequenos Guilherme e Isa.


Logo estaremos divulgando a agenda para o próximo encontro. Aguardamos vocês!!

bjs

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Convite: Roda de Mães no Reino

Olá mamães e futuras mamães, estamos voltando com nossa Roda de Mães no Reino para a cidade de Indaial-SC.
O primeiro encontro desse ano será:


  dia  04 de fevereiro às 14hs na 2ª Igreja Quadrangular.
 Tema: Protegendo os filhos das influências negativas


Os encontros são gratuitos e especiais para a família toda!

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Meu ministério é ser Mãe!



Já diz o ditado que "a cada criança que nasce, nasce também uma mãe",  mas junto a isso creio que "a cada mãe que nasce, nasce também um ministério, uma função, um dom, uma missão".
O que é na realidade ministério, dom, missão? Tudo isso significa trabalho! o trabalho que Deus te deu e onde Ele quer te usar. Você não precisa trabalhar em uma denominação cristã para considerar que exerce um ministério. Seu ministério pode ser cumprido todos os dias na sua empresa, em sua escola, onde você estiver. Basta apenas fazer aquilo que Deus lhe pediu, usar o dom que Ele lhe deu, cumprir aquilo que no seu íntimo,você sabe que Deus quer que você faça.
E uma coisa que Deus espera que nós mulheres, façamos para Ele, quando nos presenteia com a gravidez, é que assumamos o ministério materno!
A partir do momento em que há uma nova vida no ventre, passa a ser uma obrigação, uma responsabilidade pessoal da mãe, criar e cuidar dessa criança.  Não é responsabilidade de creches, escolinhas e avós. Ao contrario do pensamento moderno, essa sempre foi e continua sendo uma responsabilidade dos pais!
Deus está procurando mulheres que querem assumir esse Ministério!

Leia mais sobre esse assunto aqui
Blog Widget by LinkWithin